Especial Castelos: Palácio Real de Queluz

Em 1910, o Palácio de Queluz, localizado a cerca de 15km do Centro Histórico de Lisboa, foi classificado como Monumento Nacional de Portugal. Antigamente um palácio rural, em 1747 começou a ser reformado a mando de Dom Pedro III, com o objetivo de transformá-lo numa casa de veraneio para a Família Real. 

O Pavilhão de Robillon foi, das edificações, o que mais me chamou atenção. Ele é o que mais tem influências francesas e austríacas. A única coisa ruim é que não existe muita coisa sobre ele na internet. Outras partes lindas demais desse palácio são os lagos (que eu chamaria humildemente de fontes, mas né), como o Jardim de Netuno e também o de Nereida e o Canal dos Azulejos. E, sério, a cada dia que passa eu tenho mais vontade de viajar para Portugal.

 

No estilo rococó, o Queluz possui imensos salões, com estatuas e fontes barrocas, e nele podemos encontrar o quarto Dom Quixote, aposento em que nasceu e também morreu nosso Dom Pedro I – também Dom Pedro IV, em Portugal (fonte). Um local do palácio que chama a nossa atenção é o Corredor das Mangas que, de acordo com o site Viaggiando, é revestido com “painéis de azulejos do século XVIII que representam os diferentes continentes e estações do ano”.

Esse palácio já foi muitas vezes comparado com o Palácio de Versalhes por também possuir jardins com traçados geométricos, apesar de diferir do francês tanto em escala quanto em proporção. Outra semelhança que dizem ter é a tal fonte do Netuno, aquela bonitona ali em cima.

Fora as fontes mencionadas aí pelo meio do post, o site Parques de Sintra e o Wikipedia (como sempre, né) deram uma boa ajudinha, também. :3

Laís

 

Comments are closed.