Frozen, de Jennifer Lee e Chris Buck

E foi por causa do último post da Laís que também criei uma enorme vontade de assistir à nova animação da Disney, Frozen (no Brasil ela tem como subtítulo “Uma aventura congelante”).

Sendo dos mesmos criadores de Enrolados e Detona Ralph, e inspirado num conto do Andersen, fui já esperando algo muito bom, e de forma alguma me decepcionei. Ok, eu imaginava que o roteiro seria mais próximo da história que eu conhecia, mas se você também já leu (ou assistiu à) Rainha das Neves, não faça como eu, pois o filme trata de algo novo. Bem novo, aliás!

Esse é a primeira animação da Disney dirigida por uma mulher, a Jennifer Lee, que também o roteirizou. Isso, somado ao fato de que desde a história original de Andersen a personagem principal é uma garota, dá ao filme uma característica que muitas pessoas desconhecem nos contos de fada: princesas que não são indefesas (não que eu ache que alguma princesa na fairytale land seja tola só por ser indefesa).

(A partir de agora esse post pode conter revelações de enredo que te irritem, porque você sabe né, we accept the spoiler we think we deserve. Não diga depois que eu não avisei).

Elsa, a filha mais velha do rei, tem o poder de criar gelo com as mãos, e é com esse poder que ela causa o acidente que força seus pais a separá-la do mundo até que conseguisse se controlar. Com isso, ela cresce completamente sozinha, e sua irmã mais nova, Anna, também, já que as duas eram as únicas crianças do castelo. Essa solidão influencia muito aquilo que acontece com as duas na primeira vez em anos em que os portões do palácio são abertos, e esse é uma questão interessante do filme: até que ponto a reclusão pode proteger a nós (e aos filhos)?

Outra coisa interessante é a questão do amor entre as duas irmãs. Falar de princesas geralmente nos remete a ideia de uma moça preocupada em casar com o amor de sua vida, um príncipe, mas em Frozen toda a saga se desenrola enquanto Anna vai atrás de sua irmã, para levá-la de volta pra casa, e por acreditar que ela nunca a machucaria e que era capaz de tirar seu reino do inverno em que Elsa o prendera. Há muito amor e confiança aí.

Além das duas já citadas, os outros personagens do filme são ótimos também: Olaf, um boneco de neve que sonha em conhecer o calor (e eu aqui querendo conhecer a neve), e o vendedor de gelo solitário Kristoff são os que, na minha opinião, são os mais dignos de se citar. Alguns dos momentos mais engraçados (senão todos) são graças a eles.

tumblr_mzgs7sQ2hG1rjhy40o2_250As canções – porque sim, há partes musicais no filme, e o melhor disso é que em nenhum momento você se pergunta “por que eles começaram a cantar do nada?” porque a música é muito bem utilizada – têm altos e baixos na versão dublada. Certo, quem assiste animação legendada? Mas acredito que valha a pena ouvir as músicas originais depois. E toda a parte estética do filme é muito linda e bem pensada, com um reino muito bem criado, cores usadas nas horas e lugares certos (mesmo que branco, cinza e azul dominem boa parte da historia) ajudando-nos a lembrar de que ainda estamos assistindo a um conto de fadas.

Com tudo isso, Frozen é com certeza um dos desenhos mais lindos da Disney, e espero que com seu sucesso a produtora volte a adaptar mais contos clássicos para o cinema! Se você ainda não viu, não posso fazer nada além de indica-lo incessantemente, e que veja com a família, com os amigos, que pague o ingresso pra algum estranho na rua (mas não vá se apaixonar por ele*), com todo mundo!, porque é uma animação que vale a pena ser vista. E caso você já tenha visto, conte aí o que achou!

Emily

*Piada interna pra quem já assistiu, mais um motivo pra você ir ver logo e entender a brincadeira!

0 comment on Frozen, de Jennifer Lee e Chris Buck

  1. Laís Sperandei
    16/01/2014 at 01:31 (4 anos ago)

    HEY eu assisto a animações legendadas. Sério que isso é estranho?

    • Emily Libanio
      16/01/2014 at 14:17 (4 anos ago)

      Ó, Laís, quem sou eu pra dizer o que é estranho e o que não é, né, mas eu conheço pouquíssima gente que tem o costume de assistir animação legendada (apesar de eu mesma ter visto A viagem de Chihiro com legenda)

      • Laís Sperandei
        16/01/2014 at 21:19 (4 anos ago)

        Eu curto, porque eu tenho esse lance de gostar de reconhecer a voz do ator que tá dublando. ÇALDÇÃLÇLSAD

    • Gabriel Rodrigues Mesquita
      16/02/2015 at 03:14 (3 anos ago)

      Eu também assisto animações legendadas, na verdade só filmes brasileiros que eu vejo em português. Assisti Frozen legendado e não me arrependi, a versão original é muito superior à dublada que deixa muito a desejar (salvo poucas exceções); como a primeira impressão é a que fica, tenho quase certeza de que eu não gostaria tanto da animação se tivesse visto primeiro a versão dublada.

      • Laís Sperandei
        23/02/2015 at 15:52 (2 anos ago)

        Concordo plenamente, Gabriel! 🙂

  2. danixx1
    18/01/2014 at 22:39 (4 anos ago)

    Eu vejo animação legendada também :C UAHSDUASHDUASHD Mas no caso de Frozen foi por causa das músicas 😛

    • Emily Libanio
      19/01/2014 at 00:02 (4 anos ago)

      As músicas originais são bem melhores, né?

      • danixx1
        24/01/2014 at 20:49 (4 anos ago)

        Extremamente! Em português precisa adaptar e tal

2Pingbacks & Trackbacks on Frozen, de Jennifer Lee e Chris Buck

  1. […] filme de animação da Disney, que eu estou postando esse conto. Pra quem ainda não ouviu falar, o Frozen (com o título traduzido para “Uma Aventura Congelante” – sério, eu tenho pavor […]

  2. […] da Disney, que contém infinitos detalhes sobre a produção do filme (do qual a gente já falou aqui). Agora, adivinhem quem tá querendo comprar isso nesse exato momento, mas não vai comprar porque, […]