O Lago dos Cisnes

Eu estava há muito tempo procurando sobre a origem do balé O Lago dos Cisnes, mas só hoje eu soube (nesse blog) que o conto de fadas alemão pode ter sido escrito na verdade por E.T.A. Hoffmann, mas não se sabe ao certo. E foi justamente esse conto que serviu de inspiração em 1876 para o surgimento do balé que conhecemos hoje, com música de Tchaikovsky! Enfim, abaixo segue o conto, para vocês.

 “Odete era uma linda jovem que vivia alegre no campo com sua família. Um dia, um feiticeiro que morava na região encantou-a na forma de um cisne branco. Assim sendo, durante o dia, ela era a rainha dos cisnes e à noite voltava a ser a bela moça.

Como podia a mãe de Odete aceitar tamanha desventura? Desolada, sem saber o que fazer, ela caiu num choro demorado. E chorou, chorou… Chorou dias e noites. Derramou tantas lágrimas que deram para formar um lago cristalino num vale que havia nas proximidades da casa. Durante o dia, quem passasse pela região avistava, à beira do recente lago, um belo cisne coroado, quem sabe o mais belo cisne que já havia visto.

Com o tempo, outros cisnes foram chegando por ali. Eram moças da redondeza também encantadas pelo feiticeiro. Os que conheciam o feiticeiro contavam que ele tinha uma filha de nome Odile e que, segundo ele dizia, em breve, ela se casaria com aquele que seria o rei daquele país. Presumia o bruxo que, enfeitiçando as moças daquela terra, o príncipe acabaria se encontrando com sua filha.

Chegou o dia do aniversário de 21 anos do príncipe e, conforme estava determinado desde que ele nascera, durante a festa de comemoração, ele escolheria entre as convidadas aquela que seria sua esposa. Entediado com tal obrigação, o príncipe saiu para caçar com seus amigos. Havia ganhado um novo conjunto de arco e flechas e queria experimentá-los. Cavalgando pelo campo, os caçadores acabaram se deparando com o recente lago e o príncipe logo foi atraído pela elegância dos cisnes que estavam lá a mergulhar. Num instante, ele viu-se atraído por um cisne que usava uma coroa na cabeça.

Impressionado com a beleza do lugar, o príncipe decidiu parar por ali para descansar. Acomodou-se e pediu aos amigos que não atirassem suas flechas. Em pouco tempo, o sol se põe e de repente o lago dos cisnes fica rodeado de belas moças vestidas de branco. Então, uma jovem de rara beleza se dirige ao príncipe e lhe conta sobre o encantamento. De dia, ela e as companheiras eram cisnes e de noite voltavam a ser as moças que eram antes. E que havia apenas uma forma de ela se tornar mulher para sempre. Para isso, ela teria que se casar com um moço que lhe fosse fiel para sempre.

Ilustração de O Lago dos Cisnes por Trina Schart Hyman.

Enquanto conversava com a moça, o príncipe se viu perdidamente apaixonado. A noite foi passando e quando chegava a hora de o sol iluminar o dia, o príncipe agiu ligeiro. Disse-lhe que ela era a sua escolhida convidou-a para festa que seria dada no castelo na noite seguinte.

O feiticeiro, ah, o feiticeiro. Aquele era o seu tão esperado dia. Não seria aquele cisne coroado que haveria de lhe atrapalhar. Seguro de que restavam poucas moças casadouras naquele reino, usou de sua magia e fez com que a filha Odile se tornasse semelhante a Odete. Comprou-lhe um belo traje a rigor e conduziu-a para a festa com a obrigação de conquistar o príncipe. Naquela noite, o castelo recebeu a mais bela decoração de todos os tempos.

Acompanhadas de suas famílias, as candidatas a princesa chegavam, cada uma mais suntuosa do que a outra. De braços dados com o pai feiticeiro vestido para uma cerimônia real, chegou Odile, toda faceira, certa de que aquele era o seu esperado dia. O príncipe, que havia visto a amada apenas uma vez e sob o clarão da lua, acreditou que aquela fosse a moça cisne. Dirigiu-se a ela e lhe fez juras de amor eterno. Nessa hora chegou Odete. Ao vê-lo sorridente a dançar, sente-se traída. Como podia ser? Seu encanto nunca seria quebrado… Num momento, o príncipe percebe o olhar desolado da moça que acabava de chegar e sente que havia jurado amor eterno a uma pessoa errada.

Ao ver a troca de olhares, o feiticeiro pressente que o maior negócio de sua vida estava prestes a se arruinar. Então, aproveita de sua força para fazer com que Odete desapareça do salão voando pela janela. O príncipe, ao ver a amada naquele voo, corre até a janela e se atira atrás dela. Pede-lhe perdão e, juntos, caminham até ao lago dos cisnes.À beira do lago, o príncipe lhe faz juras de amor eterno. No entanto, ela sabendo que estava condenada a ser cisne para sempre por causa do encantamento, em desespero, pula dentro do lago. O príncipe a segue, pois nada mais lhe importava. Se o amor não podia ser realizado, ele morreria junto com a amada.

Dizem que, neste momento, o feiticeiro perdeu todo o seu poder e todas as companheiras do lago se tornaram livres do feitiço. Elas contaram que, ao amanhecer, meio a uma suave neblina, viram os espíritos dos apaixonados sobrevoando o lago.”

Agora, deixo um trechinho do balé para vocês conhecerem:

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=jSTia7AmWDI]

Alícia

6 Comments on O Lago dos Cisnes

  1. Laís Sperandei
    03/06/2013 at 11:11 (4 anos ago)

    Ainda to tentando achar a versão macabra desse conto… 🙁

    • Alícia Cohim
      03/06/2013 at 19:50 (4 anos ago)

      Bem que a gente podia dar uma de escritora de contos e fazer o nosso próprio né não? hahaha

  2. Nivea
    31/07/2014 at 16:39 (3 anos ago)

    Assisti uma vez o balé pela tv, no canal Arte1. É lindo demais o balé! Vi também o filme Cisne Negro, e acho que é um dos melhores que eu já vi até hoje, com todo aquele clima esquizofrênico da Natalie Portman… incrível!

    • Alícia Cohim
      31/07/2014 at 17:19 (3 anos ago)

      Que bom que gostou! Amo o ballet de coração <3 O filme é maravilhoso mesmo! 🙂

      Obrigada pelo comentário Nívea!

2Pingbacks & Trackbacks on O Lago dos Cisnes

  1. […] a elas, como eu já falei no início, embora tenhamos um grande exemplo conhecido no mundo todo: O Lago dos Cisnes. Não fala-se exatamente em Swan Maidens, mas dá a entender que Odette e as outras irmãs são, […]

  2. […] é um ballet pouquíssimo conhecido perto dos grandes repertórios clássicos como O Lago dos Cisnes, Dom Quixote ou Giselle. O que é uma pena, já que se trata de um ballet com história e […]